segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Paul II - cap. 12


Capítulo 12

Certa noite, Sally me visitou no hotel. Ao contrário da maioria das vezes, desta ficamos apenas conversando.
- Paul, eu percebi uma coisa... Nunca vi você matar ninguém. Sabe, fiquei assustada quando cheguei na casa da Luna aquele dia e vi aquela... Confusão sangrenta. O coração dela pra um lado e ela pro outro, tinha sangue até no teto. Como você fez aquilo?
Suspirei. Não gostava de falar sobre aquele dia.
- Bem, usei só uma mão - respondi.
- Uma mão? Que tipo de coisa você é?
- Boa pergunta.
Ficamos calados.
- Sabe, Paul... Na verdade, eu vim aqui por um motivo hoje. Tenho uma coisa para contar.
- Conte.
Sally parecia agitada, mexendo nas pontas dos dedos.
- Fiz um teste um dia desses - ela disse.
- Teste de quê? De saúde?
- Não...
Ela virou para mim e me olhou nos olhos.
- Estou grávida.
Que bom. Ela não estava com câncer nem nada e...
Espera.
- O que você disse?
- Disse que estou com uma droga de bebê no útero.
- Sim, mas... Meu?
- Não, da minha avó. Lógico que é seu!
Era estranho pensar que eu, que sempre causei apenas morte, tinha a capacidade de criar vida.
- Pensando agora... - disse Sally, pensativa - Nunca nos prevenimos de maneira alguma.
- Eu pensei que você estivesse usando aquelas pílulas ou sei lá.
Sally bateu a testa na parede.
- BURRA! BURRA! BURRA! - ela gritou.
- Fica tranquila. Eu vou te ajudar.
- Não, o problema não é com você, de verdade. Eu sei que não me largaria sozinha. Mas meu pai me expulsa de casa se ele ficar sabendo. E expulsa você daqui também. Vamos ficar na rua, Paul. NA RUA!
Ela se deitou na cama e ficou encarando o teto. Eu não sabia mais o que dizer, e, pelo jeito, ela também não.

1 comentários:

MaNa disse...

Que bom que vc está de volta! Pare com essa história de preguiça. Gosto muito da história de Paul e espero ansiosamente pela continuação! Ei estou trabalhando em um blog novo com uma amiga. Um blog de contos e histórias, acho que vc vai gostar! O link é www.eraoutravezmaisumavez.blogspot.com entra lá. Na história atual eu escrevo apenas as partes da personagem feminina, Aiyra. Espero que goste. E por favor não pare de escrever!

Postar um comentário

 
;