sexta-feira, 9 de março de 2012

Paul II - Capítulo 8

Capítulo 8

   Faltei à escola aquele dia por causa da dor de cabeça, mas no dia seguinte eu não pude escapar.
   Sally parecia feliz ao me cumprimentar de manhã, e disse que tinha uma surpresa para o recreio. Parece o tipo de coisa que a Luna faria, esse tipo de surpresa idiota.
   É, era bem a cara dela...
   No recreio, então, ela me mandou:
   - Abre a boca e fecha os olhos.
   Meio receoso, obedeci... e senti o inconfundível e fantástico sabor de sopa de tomate.
   - Hmmm...
   - Gostou? – perguntou Sally – Eu que fiz.
   - É meu prato favorito – abri os olhos.
   - Calma que tem mais.
   Fechei de novo, esperando sopa de batata ou algo assim.
   Mas, em vez disso, senti os lábios dela nos meus.
   Alguns babacas que estavam na sala durante o intervalo aplaudiram. Eu revirei os olhos.
   - Já não falei pra parar com isso? – perguntei.
   - Não desisto nunca, você sabe.
   E olhou nos meus olhos. Enquanto ela me fitava, fiquei pensando... Estava certo eu ser um escravo da memória de Luna para sempre?
   A resposta me veio rápido, e eu sorri, puxando Sally para mais um beijo, comigo sóbrio dessa vez.
   A não ser que ela tenha drogado minha sopa, ou sei lá.
   Só sei que nunca tinha visto uma expressão tão vitoriosa no rosto dela até então.

0 comentários:

Postar um comentário

 
;