sábado, 11 de junho de 2011

Conto de sangue especial pro dia dos namorados

  - Meu querido...
  Edmund sorriu. Eu também dei um sorriso fraco a ele. Estendi a mão suja de sangue em sua direção. O meu sangue. Ele a segurou e a beijou gentilmente.
  - Como se sente? - perguntou.
  - Ainda... aguento um pouco.
  - Ótimo.
  Ele me levantou, me segurando pela cintura, e começou a dançar comigo. Ele dançou, na verdade, porque eu não encostei os pés no chão. Não teria forças para ficar em pé.
  - Lembra da nossa primeira dança?
  - Lembro... Eu lembro sim - respondi.
  Ele me deu um beijo doce. Fechei os olhos.
  - Você é perfeito...
  - Eu tento - ele deu um sorriso largo.
  - Ed... - abri os olhos de novo - Vai sentir minha falta?
  - Claro que vou, minha linda. Afinal, você foi a melhor coisa que me aconteceu.
  - Espero que eu tenha sido o bastante...
  Ele riu.
  - O bastante está além da sua capacidade, Kath.
  Pisquei os olhos. Encostei a cabeça em seu ombro e deixei as lágrimas rolarem.
  - Me desculpe... - falei - Eu... Devia ter tentado mais.
  - Está perdoada.
  - Não roube minhas falas.
  Ele sorriu. Pôs a mão na minha bochecha e a arranhou levemente.
  - Meu amor... Por que me machuca? - perguntei.
  - Por que eu te amo, querida.
  - Eu te amo também... Amo muito!
  - Eu sei disso.
  Meu sangue pingava no chão. Eu percebi que meu tempo estava acabando.
  - Ed...
  - Está tudo bem, docinho - Edmund me deitou na cama de volta - Adeus, minha linda. Até a próxima vida.
  Demos mais um beijo. Olhei nos olhos dele pela última vez. Fechei os olhos. Até a próxima vida.

Feliz dia dos namorados =D
Edmund by: Júlia Magalhães

3 comentários:

MaNa disse...

Medo!
Que bom que vc voltou a postar!

Bjs

MaNa disse...

Tem um tag para vc lá no blog!

Lúcio Neto disse...

belaooo vc é doidaaa hahaha mas achei romantico

Postar um comentário

 
;