terça-feira, 26 de abril de 2011

Prólogo da minha história medieval

A história ainda não tem nome. Vou postar só o prólogo aqui:

Prólogo

   - Volte aqui, menino!
   O menino corria desesperadamente por entre as casinhas da vizinhança. O pai ia atrás, brandindo aquela enorme faca afiada.
   Nem sabia direito para onde corria. Só sabia que tentava ir para longe do pai. Se enfiou entre as casas, subiu e desceu escadas, pulou murinhos, e de repente se achava nos fundos de sua própria casa.
   Olhou para os dois lados. Não havia sinal do pai. Se sentou no chão e respirou fundo. Fechou os olhos, exausto.
   Uma mão forte agarrou seu braço magro. Era seu pai. A faca reluziu à luz da lua.
   O pai debruçou o garoto sobre uma mesinha e tirou sua blusa. Então começou a desenhar com a faca em suas costas.
   O filho gritou loucamente com a dor, mas o pai apertava seu rosto contra a mesa com força, abafando seus gemidos.
   - Está feito – disse o pai, e soltou a criança, que tremia.
   A estrela satânica brilhou escarlate sob o luar.

Gostaram? O prólogo não tem muito a ver com a história. A história mesmo tem como personagem principal o menino crescido, e é narrada em primeira pessoa. O nome dele é Jameak, e ele trabalha cuidando de cavalos, mas além disso tem um segredo que pode levá-lo pra fogueira...

Beijos

1 comentários:

MaNa disse...

Tomara que o coitadinho não morrar!Gostei do prólogo!
Bjs

Postar um comentário

 
;