terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Tinta Vermelha - Cap. 13

 Aproveitem bem, pois este é o último capítulo. Espero que gostem:
 
Capítulo 13
 
   Theodora sentia toda a pele ardendo. Seus olhos também ardiam, e ela percebeu que eles derretiam como cera. Estava completamente cega agora. Caiu de joelhos. Sentiu cheiro de queimado, e fumaça começou a sair de sua pele. Não demorou muito e estava ardendo em chamas. Em questão de segundos, Theodora se transformou em cinzas.
   Eleanor suspirou e pegou as cinzas de Theodora com uma pazinha, depois guardou-as em um pote.
   - Vou voltar para onde nascemos, na Espanha, e enterrar este pote.
   - Claro - disse Leonard - Mas não hoje, certo?
   - Não, precisamos dormir. Pode dormir comigo se quiser. Não tenho outro caixão, então vamos ter que nos apertar.
   - Tudo bem. Na verdade, pode ser até divertido.
   Ela riu.
   - Vamos - disse ela, e os dois entraram no alçapão que dava para o porão.
  
   Na noite seguinte, quando Leonard acordou, Eleanor já não estava no caixão. Ele se levantou preguiçoso e olhou para o lado. Lá estava Eleanor, ajoelhada na frente do armário, colocando roupas em uma mala.
   - O que está fazendo? - perguntou Leonard.
   - Arrumando minhas malas, obviamente - respondeu ela.
   - Vai embora?
   - Vou - ela pôs um último corpete na mala e a fechou, ficando de pé - Já fiquei muito tempo por aqui. Você devia ir também, ou seus conhecidos vão começar a estranhar você.
   - Vou com você então, para onde você for. Eu te amo, Eleanor.
   Ela riu e acariciou o rosto de Leonard. Depois disse:
   - Ah, Leo... Eu também te amo. Mas sou uma vampira. Tenho que viver sozinha. Você também, agora que é como eu.
   - Mas...
   - Acredite, é o melhor para nós dois. Eu sigo o meu caminho e você segue o seu.
   Ele ficou calado por um momento, observando o chão, desapontado. Então ergueu o olhar, sorriu e disse:
   - Sei que vamos nos ver de novo, Eleanor. Tenho certeza.
   Ela sorriu:
   - Espero que sim.
   Leonard fechou os olhos e se inclinou para um último beijo, mas este não veio. Ouviu um barulho de um alçapão se abrindo. Ele abriu os olhos e viu que ela já havia ido embora. Suspirou e se foi também. Ainda tinha a eternidade pela frente.

   Chegamos ao fim desta história. Calma, ainda vou postar mais, mas Tinta Vermelha acaba aí. O que acharam?

Beijos

3 comentários:

Sílvia disse...

Supense, amor, ação... Tudo para uma boa história.
Tinta Vermelha foi muito legal, Bela.
Parabéns!
Bjos

Letícia S. Costa disse...

Muito bom, Bela! Suspense do princípio ao fim, com um final bem diferente! Parabéns!

Pati disse...

Legal Isa! O final foi surpreendente... não esperava... ADOREI!!!!

Postar um comentário

 
;